Governo de Pernambuco suspende visitas presenciais às unidades da Funase

Medida vale a partir de segunda-feira (8). Neste fim de semana, comparecimentos que já estavam programados ainda poderão acontecer, com observância a restrições em vigor desde 2020


A Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ) e a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) determinaram a suspensão temporária das visitas presenciais a 15 unidades socioeducativas de Pernambuco a partir da próxima segunda-feira (8). A decisão vale, pelo menos, até 17 de março, quando passará por reavaliação com base na situação epidemiológica da Covid-19 no Estado. As visitas que já estavam programadas para este sábado (6) e domingo (7) poderão ocorrer mediante o cumprimento de restrições em vigor desde 2020, entre elas, a permissão de acesso de apenas um visitante por interno.


O objetivo da medida é evitar a propagação do vírus nos espaços de atendimento a adolescentes e jovens em privação de liberdade após a prática de atos infracionais. A suspensão do comparecimento presencial de familiares dos socioeducandos vale para oito unidades de internação, quatro de internação provisória, duas que funcionam em regime integrado (internação e internação provisória) e para a Unidade de Atendimento Inicial (Uniai). Essas instalações estão situadas em nove municípios: Recife, Cabo de Santo Agostinho, Jaboatão dos Guararapes, Timbaúba, Vitória de Santo Antão, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde e Petrolina.


“Sabemos que, diante da situação difícil no país, Pernambuco vem adotando medidas para conter a propagação do vírus. Sentimos a necessidade de também acompanhar essas restrições no sistema socioeducativo, que, após um esforço histórico, não tem mais superlotação desde 2019, mas tem como característica o trabalho em locais em que há privação de liberdade. Por isso, estamos suspendendo as visitas presenciais à Funase, dando como alternativa aos familiares dos jovens a comunicação por videochamadas, algo que deu muito certo em 2020”, explica o secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Sileno Guedes.


No ano passado, as visitas presenciais às unidades da Funase ficaram suspensas de abril a agosto, período em que foram realizadas 2,8 mil videochamadas entre familiares e socioeducandos. Durante o Plano de Convivência com a Covid-19 implantado em todo o Estado, o acesso dos parentes dos adolescentes e jovens à instituição voltou a ser autorizado mediante regras como o uso de máscaras e a higienização das mãos e de embalagens de produtos alimentícios levados para os internos. Também ficou proibido, na ocasião, o ingresso de visitantes do grupo de risco para agravamento da infecção pelo novo coronavírus.


“Nos últimos meses, adotamos diversas providências para garantir a segurança sanitária nas nossas unidades. Vivenciamos uma primeira suspensão de visitas, em 2020, depois a retomada e, agora, em conjunto com os gestores locais, optamos por, novamente, suspender a entrada de visitantes devido ao agravamento da pandemia. É uma decisão que busca resguardar os adolescentes e jovens que estão sob responsabilidade do Estado e os servidores da instituição, que desempenham serviço considerado essencial neste período de emergência e têm comparecido presencialmente ao trabalho”, afirma a presidente da Funase, Nadja Alencar.



 

Postar um comentário

0 Comentários