Caseiro afirma que Lázaro Barbosa dormia há cinco dias em fazenda

 


O caseiro preso suspeito de ajudar Lázaro Barbosa afirmou em depoimento que o criminoso vinha dormindo há cinco dias na fazenda onde ele trabalhava, no distrito de Cocalzinho de Goiás. À Polícia, ele contou que o dono da propriedade ajudava Lázaro, dando alimentos e deixando que ele dormisse na casa. O caseiro e o fazendeiro seguem presos nesta sexta-feira, 25. As informações são do G1.

O funcionário contou ainda que trabalha no local há 21 dias e que, na sexta-feira, 18, quando Lázaro já estava sendo procurado pelas forças policiais, recebeu ordens de não deixar agentes de segurança entrarem na fazenda. A partir daí, passou a ouvir o fazendeiro chamar por Lázaro na hora do almoço. Na noite do mesmo dia, ele afirma ter visto o criminoso na área da churrasqueira, mancando, mas seguiu para uma área de mata. Ao questionar o patrão, o homem disse que ele estava imaginando coisas. O fazendeiro não deu nenhuma declaração durante o depoimento.


Um boletim de ocorrência confirma que o fazendeiro impediu o acesso dos agentes à propriedade. As equipes receberam uma denúncia de que Lázaro poderia estar em uma fazenda na região. Na quarta-feira, 23, o dono da propriedade declarou que os agentes não poderiam entrar no local para fazer as buscas. No dia seguinte, os agentes voltaram ao local e conseguiram entrar. 

Após a prisão dos dois, o secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, já tinha adiantado que os dois teriam confessado que ajudaram o criminoso. "Eles estão sendo autuados agora por porte ilegal de arma de fogo e por facilitação da fuga. [...] Uma pessoa, testemunha, o viu [Lázaro] e depois, na entrevista que nós fizemos com os dois que estão sendo autuados, os dois confirmaram que ele estava realmente lá e que ele passou as últimas noites lá”, disse no momento.

Com os presos, a Polícia apreendeu duas armas de fogo e mais de 50 munições. Uma dessas armas seria roubada em um dos crimes de que Lázaro é suspeito. Segundo o advogado que se apresentou como representante da dupla, os clientes não confessaram a ajuda a Lázaro. De acordo com ele, o fazendeiro, que tem 74 anos, têm câncer, estava indo à propriedade, na região de chácaras de Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás, alimentar os animais, mas não viu Lázaro.

Lázaro é acusado de assassinar quatro pessoas da mesma família numa chácara do DF e uma quinta vítima teria sido feita em Goiás. Ele ainda é investigado por balear três pessoas no município de Cocalzinho de Goiás, onde se concentram as buscas.

Postar um comentário

0 Comentários