O silêncio de Raquel Lyra sobre o armamento da Guarda Municipal

Cogitações e assuntos nas plataformas digitais, e, rede sociais de todo Agreste do Estado de Pernambuco. Sobre a opinião desaprovada por vários órgãos que compõe a segurança pública. A prefeitura de Caruaru é a única gestora do Agreste que não aceita a Guarda Municipal armada, vale salientar que a capital do forró, existem pouco mais de 300 mil habitantes. 


A instituição do município armada poderia somar estratégia e aprimoramento na segurança da cidade, assim como as cidades bem menores do Agreste já ajudam as Polícias Civil e Militar. Exemplos são as cidades de Brejo da Madre de Deus, Santa Cruz do Capibaribe, Toritama e até Taquaritinga do Norte, que recentemente foram surpreendidos por bandidos que trocaram tiros e um bandido foi morto na ação. Se caso isso acontecesse em Caruaru quem seria morto era o Guarda Municipal. 


Oque chama atenção, Raquel trabalhou na Polícia Federal, ela sabe que não se faz segurança pública sem nenhum tipo de segurança. Para esses profissionais o armamento de fogo e apenas um (IPI) para a desenvoltura das atividades.


Mesmo diante de tudo isso, um empresário no ramo de armamento e tiro, ele se colocou a disposição para treinar todo efetivo de Caruaru, sem nenhum custo financeiro. Mas até o momento Raquel, não se pronunciou, achando melhor o silêncio sobre o assunto.


Do: Portal Caruaru 24 horas/Repórter Kalebe Pereira. 

 

Postar um comentário

0 Comentários